Sala de Imprensa

Releases

28.06.2016

Ativista brasileira carrega chama olímpica pela biodiversidade

Neiva conduz a Tocha Olímpica no município de Rio Brilhante (MS)

Neiva Guedes, a bióloga responsável e presidente do Instituto Arara Azul, foi uma das representantes da biodiversidade brasileira durante o Revezamento da Tocha Olímpica na cidade de Rio Brilhante, no Mato Grosso do Sul, no último domingo, dia 26.

A bióloga, que é conhecida por ser uma das maiores protetoras da arara-azul no mundo, percorreu 200 metros com a chama olímpica, que foi conduzida por 10 participantes no município de 30 mil habitantes. O convite para participar do Revezamento reflete diretamente a inciativa de Neiva na recuperação e preservação da espécie no Pantanal brasileiro, graças ao árduo trabalho do Instituto.  Após quase três décadas de preservação ambiental, em 2014, a espécie saiu da Lista da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção.

“Foi um dia lindo e inesquecível. Ser convidada a conduzir um símbolo com tantos significados é o reconhecimento do trabalho que temos desenvolvido pela conservação da biodiversidade brasileira. Foi um momento muito emocionante”, explica a professora doutora do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional da Universidade Anhanguera-Uniderp.

Os escolhidos para revezamento são avaliados com base em uma história real sobre uma transformação de vida e de superação, seja em âmbito pessoal, profissional ou comunitário. No total, a tocha olímpica percorrerá mais de 300 municípios até 4 de agosto quando chegará ao Rio de Janeiro para início dos Jogos Olímpicos.

Sobre o Projeto Arara Azul

Desenvolvido no Pantanal sul-mato-grossense, o projeto Arara Azul monitora aves que vivem em 713 ninhos, espalhados por 57 fazendas da região com apoio logístico da Fundação Toyota do Brasil, por meio de picapes Hilux 4x4, que chegam a áreas de difícil acesso, ampliando o monitoramento de ninhos do projeto. Os resultados positivos têm fortalecido o projeto. Em 2013, a Fundação Toyota financiou a construção do Centro de Sustentabilidade do Instituto Arara Azul, em Campo Grande (MS). No fim da década de 1980, a arara-azul chegou a somar apenas 1.500 indivíduos. Hoje, estima-se mais de 5.000 aves no Pantanal. E no recente estudo realizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), a espécie saiu da lista brasileira de animais ameaçados de extinção depois de três décadas.

Para mais informações, visite o site da Fundação Toyota do Brasil na internet www.fundacaotoyotadobrasil.org.br.

Para entrar em contato com a Fundação Toyota do Brasil, envie uma mensagem para: contato@fundacaotoyotadobrasil.org.br

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO

PARCEIROS