Sala de Imprensa

Releases

10.01.2013

Fundação Toyota do Brasil apresenta rota de turismo sustentável na APA Costa dos Corais

Abrangendo oito municípios de Alagoas e três em Pernambuco, a Área de Proteção Ambiental Costa dos Corais é considerada uma das regiões mais belas do Brasil, constituindo um imenso berçário da vida marinha, com mais de 185 espécies de peixes registradas em uma área de aproximadamente 413.000 hectares.

Durante o verão no Brasil, a região tem um aumento considerável de visitantes de vários cantos do País e até mesmo do exterior, o que exige maiores cuidados da comunidade e das instituições locais para conscientização dos turistas. Pensando nisso, o projeto Toyota APA Costa dos Corais selecionou uma rota das principais praias da região, além de revelar algumas regras para os visitantes que desejam desfrutar da beleza local de forma consciente.

Verifique algumas dicas e trace sua rota de viagem:

Praias paradisíacas e recifes deslumbrantes

O ponto de partida sugerido é Maragogi. Local que pode ser acessado pelas capitais Maceió e Recife, com maior facilidade pela estrada que sai do município alagoano. A região é ideal para quem deseja conhecer as piscinas naturais de Alagoas, conhecidas também como galés. Em horários de maré baixa é possível mergulhar de snorkel ou cilindro, opção que inclui acompanhamento de guias, com mergulhos a cinco metros de profundidade. No mesmo circuito, não deixe de fazer uma visita a Japaratinga. A cidade tem um ritmo ainda mais relaxado que Maragogi e ainda mantém suas construções originais do século 18 como a  Igreja Matriz, construída  pelos holandeses.

São Miguel dos Milagres é o lugar perfeito para um passeio de barco nas águas do Rio Tatuamunha, onde o turista possivelmente terá um encontro com peixe-boi-marinho – o mamífero aquático mais ameaçado de extinção no Brasil - nadando entre os manguezais. É nesse local que a Associação Peixe-boi Marinho, parceira do projeto Toyota APA Costa dos Corais, realiza visitas monitoradas e desenvolve atividades de educação ambiental com a comunidade, turistas e condutores para conscientizar e ordenar as atividades turísticas na região. As Praias do Toque e Porto da Rua também são atrativos do município.

Já em Pernambuco, o mar cristalino da Praia de Carneiros recebe diversos turistas para observar peixes e outros animais marinhos que se encontram nas piscinas de corais. O acesso difícil é motivo para o local ser relativamente pouco frequentado, tendo sua paisagem quase inalterada desde o século passado.

Porto de Galinhas, também no estado pernambucano, é parada obrigatória para aqueles que passam pela região. Durante o dia, o roteiro é preenchido por mergulhos nos corais, caminhadas pela praia e atividades como o frescobol. À noite, as vilinhas aconchegantes do centro comercial se enchem de turistas a procura de souvenires.

As paisagens das praias podem se diferenciar de acordo com a variação das marés. Se o passeio acontecer em um dia de maré baixa (entre 0,1 m e 0,2 m de altura), é possível observar os recifes de corais expostos com a água transparente na altura dos joelhos. Em época de maré alta (entre 0,4 m e 0,7 m), a correnteza é mais intensa e fica mais difícil se movimentar entre os corais.

É sempre recomendável que o visitante busque informações com profissionais da unidade de conservação APA Costa dos Corais para a prática de atividades e condições das praias locais.

História

A região não deixa a desejar para aqueles que gostam de história e cultura. Importantes monumentos e resquícios da presença holandesa e portuguesa durante a colonização do Brasil podem ser visitados ao longo da Costa dos Corais, como o Alto da Forca e o Engenho Escurial, localizadas em Porto Calvo, município alagoano colonizado por portugueses.

Pesca, uma das maiores atividades econômicas das cidades litorâneas

A prática excessiva da pesca durante muitos anos causou um declínio no desempenho da atividade, fazendo com que pesquisadores criassem uma área fechada para proteção e crescimento adequado das espécies da região. “Para reverter esse quadro, nós criamos uma área fechada a qualquer atividade humana, que funciona como uma poupança, um berçário para o crescimento de peixes. Após crescerem, esses animais nadam para fora das áreas de exclusão e quando os pescadores os capturam, já estão bem maiores”, revela Mauro Maida, biólogo marinho, professor da Universidade de Pernambuco e presidente do Instituto Recifes Costeiros, uma das organizações apoiadas pelo projeto Toyota APA Costa dos Corais.

Dessa forma, a pesca amadora ou profissional só pode ser praticada com licença do órgão competente. Em algumas unidades de conservação como parques nacionais e reservas biológicas, a pesca não é permitida.

Atividades realizadas com explosivos, água sanitária e outras substâncias químicas são extremamente nocivas ao ambiente e, portanto, proibida pela Lei nº 9605/98 Art 35 - Lei de Crimes Ambientais.

Conscientização

De acordo com Mauro Maida, os moradores da região estão cada vez mais conscientes quanto ao auxílio na preservação do ambiente. “O trabalho realizado pelas instituições locais, com o apoio da Fundação Toyota do Brasil, tem efeito essencial sobre os moradores, que já têm o hábito de informar os turistas da importância da preservação e de como fazê-la”, explica o biólogo.

O projeto Toyota APA Costa dos Corais visa à conservação dos recifes de corais, proteção das áreas de manguezais, preservação do habitat, dos ecossistemas associados ao peixe-boi-marinho – mamífero aquático mais ameaçado do Brasil. O projeto ainda tem como objetivos, regulamentar as atividades humanas e resgatar a diversidade cultural da região junto ao desenvolvimento do turismo responsável.

Vale ressaltar que é de extrema importância que o turista tenha um comportamento consciente e atitudes sustentáveis ao visitar locais de Área de Proteção Ambiental por meio de simples hábitos como não alimentar animais, não jogar lixo ou coletar materiais do meio ambiente. E ter cuidado ao utilizar materiais de mergulho como nadadeiras, máquinas fotográficas e máscaras, de modo a não danificar os corais, que são muito frágeis e morrem com facilidade.

Como chegar

- Aéreo       As principais portas de entrada para a Costa dos Corais são as capitais Maceió/AL e Recife/PE pelos aeroportos: Aeroporto Internacional de Maceió (Zumbi dos Palmares) e Aeroporto Internacional do Recife (Gilberto Freire), que se ligam por meio de serviços de tranfers oferecidos nos próprios locais.

- Ônibus As saídas do ônibus em Maceió e Recife acontecem em horários simultâneos e o tempo de duração da viagem entre as duas capitais é de 4h40. Os ônibus partem dos terminais rodoviários às 4h15 e 11h. O bilhete Maceió/Recife custa cerca de R$ 41,00 já com a taxa de embarque. O preço varia para outras cidades.

- Carro

Partindo de Maceió pegue a rodovia AL-101 Norte. Partindo de Recife, vá para BR-101 Sul, depois pegue a PE-60 até divisa PE/AL, onde se acessa a AL-101 Norte.

Mais sobre o Projeto APA Costa dos Corais

A Fundação Toyota do Brasil patrocina o projeto Toyota APA Costa dos Corais, que tem como prioridades a conservação dos recifes de corais, proteção das áreas de manguezais, preservação do habitat e dos ecossistemas associados ao peixe-boi-marinho – mamífero aquático mais ameaçado do Brasil –, e o desenvolvimento de negócios sustentáveis ligados à pesca e ao turismo responsáveis dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais.

A APA Costa dos Corais abrange oito municípios em Alagoas e três em Pernambuco, e é uma das regiões mais belas do Brasil, com mais de 413 mil hectares de área protegida, que abriga um dos ambientes recifais mais importantes do mundo. O local é considerado um imenso berçário da vida marinha, com mais de 185 espécies de peixes registradas e a presença de animais ameaçados de extinção como o mero, as tartarugas marinhas e os peixes-boi.

O patrocínio da Fundação Toyota do Brasil propicia ao ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) – órgão vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e responsável por implantar, gerir e monitorar as Unidades de Conservação Federais – garantir a conservação da área, com sua fauna e flora associadas.

Para completar as ações com foco na preservação, o projeto também trata de questões socioeconômicas, como o ordenamento do turismo de baixo impacto, assim como asdemais atividades econômicas compatíveis com a conservação ambiental, além de incentivar as manifestações culturais e contribuir para o resgate da cultura regional.

Sobre a Fundação Toyota do Brasil

Criada em abril de 2009, a Fundação Toyota do Brasil tem suas atividades focadas na preservação ambiental e formação de cidadãos. Além das novas iniciativas surgidas com a sua criação, a Fundação Toyota do Brasil também unificou e ampliou todas as ações de responsabilidade social já em andamento, que estavam sob a responsabilidade da montadora, Toyota do Brasil.

A Fundação Toyota do Brasil agrega ainda as ações sociais implantadas e mantidas nas comunidades onde a montadora possui unidades, em Indaiatuba (SP), Guaíba (RS), Sorocaba (SP) e São Bernardo do Campo (SP). Estas iniciativas compreendem as áreas de educação, meio ambiente e cultura, e contam com o apoio dos colaboradores da empresa como voluntários.

Para entrar em contato com a Fundação Toyota do Brasil, envie uma mensagem para: contato@fundacaotoyotadobrasil.org.br

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO

PARCEIROS