Sala de Imprensa

Releases

26.09.2017 Fazer download

Incêndios florestais se alastram na Serra da Mantiqueira

  • Equipe do projeto Águas da Mantiqueira mobiliza comunidade para tentar conter focos de incêndio e diminuir impactos ambientais

Dezenas de focos de incêndios florestais foram registrados na região da Serra da Mantiqueira nos últimos 15 dias. O clima muito seco do fim do inverno e início de primavera, o desmatamento e áreas urbanizadas sem infraestrutura adequada de prevenção contribuíram para que mais de 25 hectares, incluindo áreas de floresta, fossem queimadas. De acordo com José Roberto Manna, coordenador técnico do projeto Águas das Mantiqueira, os 38 municípios que pertencem à região tiveram foco de incêndio neste mês de setembro.

No mês em que é comemorado o Dia da Árvore, Manna explica que parte da área incendiada é uma floresta de 30 a 50 anos em regeneração - áreas que já sofreram algum tipo de degradação. “Não se tratava de uma área primária. Portanto, a sua recuperação vai levar no mínimo mais 30 anos para chegar no estágio primário. Esse tipo de floresta nos fornece uma série de serviços ambientais – essenciais ao funcionamento de nossa economia ”. Especialistas estimam que os incêndios nestes 25 hectares podem provocar a perda de serviços ambientais na ordem de 10 milhões de reais.

Para tentar conter novos focos de incêndio e remover os danos causados pelo fogo, a equipe do projeto Águas da Mantiqueira, iniciativa de pesquisa em conservação da biodiversidade na cidade de Santo Antônio do Pinhal apoiada pela Fundação Toyota do Brasil, está promovendo a formação de grupos voluntários no município. Manna explica que mesma que chova por um período longo o problema não será resolvido, se a comunidade não agir. “Temos que remover todas as cinzas, cobrir as áreas para conter a erosão, remover a vegetação exótica – que não pertencem à região – para que a vegetação nativa possa se recuperar, entre outras ações para que possam contribuir para a regeneração da vegeta ção que ficou”.

Para mais informações ou ser voluntário, os interessados podem entrar em contato pelo telefone 12-3666 1291.

Projeto Águas da Mantiqueira

A iniciativa é uma parceria entre a Fundação Toyota do Brasil e a Fundepag (Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio), a fim de promover uma pesquisa de conservação da biodiversidade visando o planejamento territorial e o desenvolvimento socioeconômico de forma sustentável do município paulista de Santo Antônio do Pinhal, na Serra da Mantiqueira - cordilheira que é a maior província de água mineral do mundo.

Como resultado, a pesquisa poderá determinar o planejamento territorial, respeitando as características ecológicas das áreas naturais de Santo Antônio do Pinhal fundamentais para a organização de diretrizes de desenvolvimento socioeconômico que garantam ao mesmo tempo a conservação da biodiversidade local e a continuidade no abastecimento da comunidade e de milhões de pessoas que dependem das águas da Mantiqueira.

A Serra da Mantiqueira foi reconhecida em um artigo científico da Revista Science como o 8º ecossistema mais rico em diversidade de espécies no mundo e considerado insubstituível. Florestas, campos naturais e a fauna da maioria das espécies da Mata Atlântica, distribuídas no relevo da cordilheira, permitem a ocorrência de um clima singular e a maior concentração de água mineral em quantidade e qualidade no planeta. Essas características conferem à região uma função essencial para o Sistema Cantareira, em São Paulo, que abastece diariamente mais de 5 milhões de pessoas.

Sobre a Fundação Toyota do Brasil

Criada em abril de 2009, a Fundação Toyota do Brasil atua na preservação ambiental e formação de cidadãos. Além das novas iniciativas surgidas com a sua instituição, a Fundação Toyota do Brasil unificou e ampliou todos os projetos de responsabilidade social em andamento, que estavam sob a responsabilidade da montadora Toyota do Brasil.

Nacionalmente, a Fundação Toyota do Brasil patrocina desde 2009 o Projeto Toyota APA Costa dos Corais, em parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do governo federal. O projeto prioriza a conservação dos recifes de corais e ecossistemas associados ao peixe-boi marinho em uma área de 413 mil hectares nos estados de Alagoas e Pernambuco.

No Pantanal sul-mato-grossense, o apoio de mais de duas décadas ao Projeto Arara Azul nas atividades de proteção e monitoramento da espécie retirou, em 2014, a ave da Lista de Espécies da Fauna Brasileira Ameaçadas de Extinção. Na década de 90, especialistas contabilizavam cerca de 1.500 aves e hoje, com o apoio da Toyota, estima-se uma população de 5 mil aves naquela região. No estado de São Paulo, a entidade promove o projeto Águas da Mantiqueira, iniciativa de pesquisa em conservação da biodiversidade, que visa o planejamento territorial e o desenvolvimento socioeconômico de forma sustentável do município paulista de Santo Antônio do Pinhal, na Serra da Mantiqueira - cordilheira que é a maior província de água mineral do mundo.

Localmente, a entidade agrega ainda as ações sociais implantadas e mantidas nas comunidades onde a empresa possui unidades, como Indaiatuba (SP), Guaíba (RS), Porto Feliz (SP), Sorocaba (SP) e São Bernardo do Campo (SP). As iniciativas compreendem as áreas de educação, meio ambiente e cultura, e contam com o apoio dos colaboradores da empresa como voluntários.

Para mais informações, visite o site da Fundação Toyota do Brasil na internet www.fundacaotoyotadobrasil.org.br.

Para entrar em contato com a Fundação Toyota do Brasil, envie uma mensagem para: contato@fundacaotoyotadobrasil.org.br

ESTATUTO DA FUNDAÇÃO

PARCEIROS